segunda-feira, 3 de maio de 2010

Mestranda: um sofrer!

Eis yo em meu primeiro dia de aula no mestrado.
Nossaaaaaaaaa empalideci e o gato comeu minha língua.
Que vontade de sair correndo pra bica ( o zoo aqui da cidade)
e ficar dando milho aos pombos!
Até chorei, discretamente C-A-L-A-R-O, de tanto desespero.
Me perguntava:
"o que estou fazendo aqui?"
"eu preciso mesmo de tanta reflexão, de tanta profundidade, de tanta viagem?"
"Porque tenho que complicar tanto minha vida?"
"Não poderia viver da minha roça, num sítio e nada mais?"
Hoje, um mês e meio depois, as perguntas ainda me atormentam
e não tenho certeza nenhuma se esse novo "investimento" em mim
mesma vai me trazer de fato mais felicidade -pelo tamanho
do sacrifício estou apostando e esperando que sim.
Mas, espero pelo menos poder dizer com orgulho que tentei
( nem que depois me arrependa e tenha ódio
de mim mesma por perder tanto tempo,
noites de sono e fios de cabelo estudando horas a fio...)
pra poder me arrepender com dignidade.
Afinal, tem coisa pior do que se arrepender
de não ter tomado a atitude, de não ter escolhido
determinado caminho, de não ter se posicionado quando foi preciso?
Tá difícil sim, mas eu sei que consigo.
Força Tchê!
(post dedicado as todas as criaturas que sofrem pra derrubar
grandes muralhas mas que sabem que no final o prazer que te-lo
feito, já vale por si só a empreitada)
MARI
:)

3 comentários:

Kalinne Arcoverde disse...

Força amiga!!!
Estou contigo e não abro!
Beijos

NaNaHaRa disse...

Aiii minha filhaa!! Eu pretendo entrar neste mudo se a minha carreira de maquiadora não decolar.. huaeuioehaUIEhAEOuiaheuioahEOuiH
Morro de vontade!
Deixa eu te falar, está anotada sua sugestão... mas vou falar antes de pesquisar aki... que na minha opinião, tanto para mulher quanto para homem, nada substitui uma boa pinça... akakakakakakakaka

=**

Mari Marques disse...

hauhauha isso é vero!:D