terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Dori e Eu


(Na foto Dori e Eu - vulgo costelinha, costela,malinda,
princesinha, amore, caboca, birôn...e a pobi atende viu?)
Eis que vos apresento aquela que de verdade se mostra honesta em TODOS os momentos em que estamos juntas : Dorinha.
Desde que chegou com 1 mes, sabe respeitar o meu espaço e mostrar o seu limite, com o jeitinho peculiar de cativar e de criar um laço tão seguro e arrochado que eu tenho certeza, JAMAIS desata.
"...Um cachorro não quer uma calça de marca, um super restaurante badalado, a área vip ou um motorista pra le tevar pra cima e pra baixo. Um cachorro não está interessado em saber se és rico ou pobre, ele quer somente um pouco de água e comida, só isso lhe basta..."-by Marlei e Eu
Tenho a observado e a admirado muito nesses 5 anos juntas.
Ela é de uma lealdade por mim nunca antes vista. Me recebe seja qual for a hora com seus olhinhos de japonês e seu corpinho morno(típico de quando estava dormindo e acabou de acordar), e vem correndo pros meus braços, dá uma volta no carro e senta ao meu lado, como se investigando se está tudo bem, se ninguém me machucou e ainda monta guarda.
Passamos muito tempo conversando e as vezes até me surpreendo tensa com medo que ela realmente, qualquer dia desses, me responda de verdade "eu estou sempre aqui você não sabe?", acho que eu cairia durinha.
Nossas tardes, deitadas no terraço, olhando pro teto e conversando não tem igual. É a irmãzinha que eu não tive mas que chegou quando eu menos esperava.
Esses dias ela saiu, quando alguém abriu o portão e fechou sem notar que ela estava do lado de fora... SUMIU. Rodamos todas as ruas do bairro, painho desceu até a orla inclusive e nada dela. Ficamos uma hora(a mais demorada dos ultimos anos) sem saber onde, quem, como e se ela voltaria. Não aguentei, caí em prantos.d
"Logo agora que ela esteve muito mal e conseguimos, depois de muito cuidado, carinho, remédio e vacinas faze-la se recuperar "- eu pensei. Foi demais pra mim.
Quando eu me sentei na calçada, já desiludida e coloquei o rosto entre as pernas...ela apareceu como num pedido da lâmpada mágica sabe? Assim do nada. Com aquela carinha de sempre: "Eu estou sempre aqui você não sabe?". Aí foi que eu me derramei em lágrimas mesmo, ELA SABE O CAMINHO DE CASA!
E o do meu coração também. Assim como o Marley(aliás, o filme é triste vou avisando...)sei que ela não será eterna, mas já sabe assim se fazer no meu coração, sempre.
Amo vc COSTELINHA.
MARI

2 comentários:

Suellen disse...

Ah eu também amo minhas cachorrinhas*-*

beijo linda

Mariana Dore disse...

esse filme eh muuuuuito lindo, né?
Perfeitissimo! A gente se toca de que eles, por mais q de trabalho, sao aqueles que nos dao seu coração de graça!
Amos meus dogs e me apaixonei por marley auhauhuahau
O nome dela foi inspirado em mim n foi Mari??? Diz q foi!
uahhuauhahuahuhauhuauahua
Adoro!