segunda-feira, 9 de março de 2009

Três estrelinhas de compensação

Hoje, tive três compensações para o dia complicado que passei.
As duas primeiras foi o encontro com essas duas estrelinhas aqui ao lado, Cassinha e Nane que que fazem tanta diferença quando estão pertinho.
Cassinha: Quero muito que saiba o quanto fiquei feliz por você hoje. Meu dia não foi fácil, mas poder ver explícito no seu rosto a estampa da felicidade com certeza valeu demais a pena. Espero que como o nosso reitor Polari disse, essa colação de grau seja instrumento para a concretização de muitos sonhos que estão por vir, porque o da graduação amiga, do jeitinho que você sempre quis, tenho certeza foi realizado com méritos que desde sempre pude perceber já na escola.
Nane: como foi bom estar com você hoje. Escutar seu sorisso, compartilhar da sua alegria e ver como as nossas vidas tem muito mais em comum do que a gente mesmo imaginava
(pra mim foi extremamente importante contar com um anjinho como você).
A terceira, me apareceu no fim da tarde.
E literalmente segurou minha mão, sorriu pra mim, e me disse
que faremos novamente nosso percurso
e que aposta no nosso sucesso.
Me senti responsável pela atenção construída mas também
apreensiva pelo trabalho que estar por vir,
mas principalmente, me senti em paz.
Saí até em casa como que flutuando
(como diriam as meninas do ballet, na ponta, na ponta...)
Nem sempre é o Dorflex que vai afastar a dor da gente, e hoje eu aprendi isso.
Meu santo remédio se chamou, Nane - em dose única. (rsrs)
Mostrou-se um orelhão perfeito, sabendo entender, ouvir e
me ajudar nas minhas aflições, que hoje eram algumas e difíceis...
Cassia, Nane, Higia e Teti.
Hoje senti falta de vocês e de como éramos,
de como não tínhamos trelele nem tralala (né teti) ?
Obrigado por estarem comigo através de Cassinha e Nane,
e de me fazerem lembrar sempre que quando os queridos
estão doentes
e fracos posso sempre contar com uma de vocês.
(e estive pensando nisso, vocês estão sempre por perto quando isso acontece)
Me lembro de quando foi seu avô Teti, e a gente escreveu uma cartinha:
"como o vento vai, o tempo vem..."
Peço a Deus, que mais uma vez -e dessa favorável a gente claro-
o seu tempo seja diferente do nosso, e que tarde a vir.
Mas adianto que diante mão minha fé não está e não ficará estremecida nunca,
porque sou temente sim e não vou desacreditar das vontades /sabedoria de Deus.
Meninas, obrigado por estarem aqui.
MARI

3 comentários:

Mariana Dore disse...

meninas de ouro, todas vocês!
Mari, tbm me sinto feliz demais em poder fazer parte desse exército que se chama EJC =*

;D

Nane =) disse...

ai mari... qdo precisar desse orelhão aqui é soh dizer elane tou precisando conversar.... que estarei disposta a te encontrar e conversarmos... é até bom pq tu me escuta tb que nem ontem...
aaaaaaaaaaahhhhhhhh essas coisas de familia neh?
Ei seu vovô como está?
Sinto falta de todas tb... bora combinar depois do baile de cássia de nos encontrarmos todas pra comemorar junto com higinha a vitoria de cassita!

bjo =*

manzas disse...

E como brilham!!


Num momento desnudado de inspiração
Apuro sentidos desconhecidos nas janelas do mundo…
Abro longas cortinas entreabertas da imaginação
E sonho despertar, num sono em que não durmo

Um resto de um bom dia e semana
Continuando, com a boa inspiração…

O eterno abraço…

-MANZAS-