segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

É preciso sentir pra crê

(Mosteiro de São Bento-Olinda/PE)



Domingo, primeiro dia da semana.
Esse pra mim foi sensivelmente marcante, arrepiante.
As 10:40 assisti a missa no Mosteiro de São Bento em Olinda-PE (ao lado da prefeitura).
"Se você nunca entrou numa igreja peça uma graça com força, ela certamente será atendida"
Mas a energia do lugar era tão forte que não conseguia fazer mais nada além de admirar.
Assisti toda a cerimônia sozinha, e confesso, emocionadíssima.
Alguém já escutou o canto gragoriano como eu escutei hoje?
É de uma profundeza, de uma sensibilidade, de uma energia...pocha, não tenho palavras pra descrever o que foi ouvir os freis e padres cantando todo aquele tempo, com todo aquele fervor.
Se fôsse mais como eles em tudo que faço...se me doasse verdadeiramente as minhas causas, se abrisse mão da minha vida como eles, se realizasse tudo com tamanho respeito, responsabilidade, seriedade, talvez eu não tivesse tantas dúvidas, tantas incertezas.
Deus pra mim me alcança como a música (não que possa ser comparável a nada comensurável), mas é que eu não posso toca-los, nem ve-los, mas posso senti-los.
E o alcançe de ambos em mim é tão intenso que não me contenho, é demais pra mim.
Foi Deus que fez as músicas, os acordes, as melodias...não há outra explicação.
É preciso sentir.
Eu não preciso ver para crêr, eu preciso sentir, é fundamental.
A missa começou.
Tanta coisa passou pela minha cabeça durante toda a cerimônia, mas a primeira delas e a que me martelou todo o tempo foi sentir o quanto somos pequenos, frágeis, pecadores.
Não somos nada, e ainda assim, nos julgamos tanto.
O lugar transmite uma sensação de bem estar, afinal estava na casa do meu Pai, mas também nos convida a uma profunda reflexão quanto a vida que levamos e as escolhas que fazemos.
Tenho mesmo seguido o caminho do bem?
Tenho buscado ser misericordiosa?
Tenho seguido os ensinamentos de Cristo?
Tenho plantado bons frutos?
Não me importo com o depois, com as recompensas, me preocupo com o agora e com o antes:
fui uma pessoa boa? Construi, contribui?
Tenho levado amor e colhido paz por onde andei?
Deus, me mostrou nesse dia mais uma vez o quão grande é a sua força
e eu acredito muito nisso.
Eu sei que ele está sempre comigo, posso senti-lo.
Por isso, é que preciso não esquecer nunca:
é dessa companhia tão imensamente importante que ando acompanhada SEMPRE,
é preciso respeita-lo e ama-lo porque é só isso que recebo quando estou na sua casa, amor e respeito.
No final da missa, a graça já estava escolhida: luz.
Luz meu Deus, Luz.
MARI

2 comentários:

Kalinne Arcoverde disse...

Mari a missa no mosteiro realmente é linda! Arrepiável mesmo!
Desejo luz e saúde pra você amiga!
Amo você sabia?
uhauahuah
;)

mariviva disse...

eu sinto kaka
sinto
:D