quarta-feira, 4 de maio de 2011

Existe esperança para nós?!

Comó é possível que sejamos tão diferentes? Somos praticamente água e vinho!
Se não fosse o sangue, tenho certeza, não seríamos nem amigos.
(nós somos?!)
Definitivamente nossos valores, interesses, relações
e comportamentos são antagônicos, completamente.
E quando formos só nós? Francamente, acho que simplesmente não seremos.
Não é pessimismo, é realismo.
Conformidade depois de tantos anos de convivência.
No nosso caso, não prevejo mudança, nem acredito nela.
É lógico que se eu pudesse escolher nada disso seria assim,
pois no meu imaginário e ideal, nós deveríamos ser os melhores amigos, irmãos.
Deveria haver carinho, consideração, amor e fraternidade.
Desses quatro sentimentos, sinto muito, mas nada identifico de sua parte.
Nada, nada mesmo.
(A não ser nos momentos de conveniência, e esses, não contam).
Da minha parte, quantas vezes já os identifiquei...
e justamente por isso...como eu sofria.
Hoje, é como uma ferida cicatrizada sabe? Resolvida.
Ficou a marca, nada mais.Não se sente nada mais. NADA.
E se não fosse o registro, a presença constante, nem sentiria se está ou não alí.
O que mais me chateia é saber que não conto nem com o seu senso de justiça...
(que no meu ponto de vista deve ser igual com relação a todos, TODOS)
porque o que sempre acontece é que, não importa o caso,
você sempre parte do princípio de que eu estou errada, de que eu sou errada.
Então, francamente, de que vale a pena insistir numa relação que já está posta?
Numa relação que já está bem definida - parece que para ambos os lados.
Você escolheu seus caminhos, eu os meus.
Você fez suas apostas, eu as minhas.
Só o tempo dirá quem foi na direção certa.
MARI
:-/

Um comentário:

taio disse...

excelente post